Parlendas são aquelas canções infantis de pequenos versos, palavras ou expressões de pronúncia difícil muito utilizada em brincadeiras de rodas e que são passadas de gerações, através da oralidade.As parlendas ajudavam as crianças a serem mais criativas, desinibidas, inteligentes, além de desenvolver sua dicção e aprendizagem geral.

Aqui estão 39 delas. Divirta-se!

Uni, duni, tê

Uni, duni, tê,
Salamê, mingüê,
Um sorvete colorê,
O escolhido foi você!

 

 

 

O cochicho

Quem cochicha,

O rabo espicha,

Come pão

Com lagartixa

 

 

 

 

Rei Capitão

Rei, capitão,

Soldado, ladrão.

Moça bonita

Do meu coração

 

 

 

 

Fui à feira

Fui à feira comprar uva.
Encontrei uma coruja,
Pisei no rabo dela.
Ela me chamou de cara suja

 

Os dedos

Dedo mindinho,

Seu vizinho,

Pai de todos,

Fura bolo,

Mata piolho..

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Olha o sapo

Olha o sapo

Dentro do saco.

O saco com o sapo dentro,

O sapo batendo o papo,

E o papo do sapo soltando o vento

 

 

 

 

 

 

 

 

Meio dia

Meio dia,

Panela no fogo,

Barriga vazia.

Macaco torrado,

Que vem da Bahia,

Fazendo careta,

Pra dona Sofia.

 

 

 

 

 

 

 

 

PAPAGAIO LOURO

 Papagaio luoro

Do bico dourado

Leva essa cartinha

Pro meu namorado

Se tiver dormindo

Bate na porta

Se tiver acordado

Deixe o recado.

 

O cemitério

No portão do cemitério,
Tério, tério, tério,
Duas almas se encontraram,
Traram, traram, traram.
Uma disse para a outra,
Outra, outra, outra,
Você é uma vagabunda,
Bunda, bunda, bunda,
Mas que falta de respeito,
Peito, peito, peito
Mas que peito cabeludo,
Ludo, ludo, ludo

 

Botequim

Fui ao botequim

Tomar café.

Encontrei um cachorrinho

De rabinho em pé.

Sai pra fora, cachorrinho,

Que eu te dou um pontapé!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um, dois

Um, dois,

Feijão com arroz,

Três, quatro,

Feijão no prato,

Cinco, seis,

Fico freguês,

Sete, oito,

Comer biscoito,

Nove, dez,

Comer pastéis

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Andando pelo caminho

Fui andando pelo caminho.

Éramos três,

Comigo quatro.

Subimos os três no morro,

Comigo quatro.

Encontramos três burros,

Comigo quatro.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Andô lê tá

Andô lê tá,
Lê com i,
Lê com a,
Lê café com chocolá,
Andô lê tá.
Puxa o rabo do tatu,
Quem saiu foi tu.
Puxa o cabo da panela,
Quem saiu foi ela.
Barra, berra, birra, borra, burra

 

Perna de pato

Entrou pela perna do pato,
Saiu pela perna do pinto.
O rei mandou dizer
Que quem quiser
Que conte cinco:
Um, dois, três, quatro, cinco

 

 

 

 

Sol e chuva

Sol com chuva,
Casamento de viúva.
Chuva com sol,
Casamento de espanhol

 

 

 

 

 

 

 

Pinto pelado

Pinto pelado
Caiu do telhado,
Perdeu uma perna,
Ficou aleijado

 

 

 

 

 

 

 

 

Topei topada

Topei, topada.
Lagartixa baleada.
Quando vejo
A lagartixa,
Só me lembro
Da topada.
Topei topada!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Uma velha

Uma velha,
Muito velha,
Foi fazer operação.
Dentro da barriga dela,
Tinha um pneu
De caminhão.

Barra, berra, birra,
Borra, burra.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A mulher matou o sapo

A mulher matou o sapo
Com a sola do sapato.
O sapato encolheu.
A mulher morreu.
E o culpado foi aquele
Que se mexeu.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fui na Espanha

Fui na Espanha buscar o meu chapéu, azul e branco da cor daquele céu, olha palma, palma, palma, olha pé, pé, pé, olha a roda, roda, roda, caranguejo o peixe é, caranguejo só é peixe na vazante da maré.

Samba criola que veio da Bahia pega a criança e joga na bacia, a bacia era de ouro a ariada com sabão, depois de ariada enxugada com ropão. O ropão era de ceda, camisinha de filó, cada um pegue o seu pá e toma bênção da vovó (Bênção vovó, Bênção vovó).

 

 

 

Laranja Maduras

Tantas laranjas maduras meninas que cor são elas, elas são verde amarelo, vira (João) de cor de canela

 

 

 

 

 

 

 

 

A mulher morreu

Lá na rua vinte e quatro, a mulher matou o gato, com a sola do sapato, o sapato estremeceu a mulher morreu o culpado não fui eu.

 

 

 

 

 

 

 

Hoje, amanhã

Hoje é sábado pé de quiabo, amanhã é domingo pé de caximbo, o caximbo é de ouro, bate no trouro, o touro é valente chifra agente, agente é fraco cai no buraco o buraco é fundo acabou sumindo.

 

 

 

 

Batalhão

Batalhão, lhão, lhão, quem não entrar é um bobão. Abacaxi, xi, xi quem não sai é um saci. Beterraba, aba, aba, quem errar é uma diaba. Borboleta, leta, leta, quem errar é uma capeta.

 

 

 

 

 

Fazer

Fazer cama de madeira Cadê a madeira? Tá na capoeira. Cadê capoeira? fogo queimou. Cadê fogo? Água já apagou. Cadê água? Boi já bebeu. Cadê boi? Ta fazendo trigo. Cadê trigo? Galinha já espalhou. Cadê galinha? Ta tirando pinto. Cadê pinto? Gavião comeu. Cadê gavião? Missa  já matou. Cadê missa? Ta no buraquinho.

 

 

 

 

 

 

 

Sapo

 Eu vi um sapo, pó na beira do rio, rio, rio não era sapão, pão, pão, nem perereca, cá era o (...João) só de cueca, cá , cá.

Galo canta, meu pau levanta. Vaca berra meu pau enterra. Macaco chia, meu pau enfia no buraco da cutia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

UM, DOIS (2)

Um, dois, feijão com arroz

Três, quatro, pé de pato

Cinco, seis, molho inglês.

Sete, oito, café com biscoito

Nove, dez, lava os pés

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

UM DOIS (3)

Um, dois, feijão com arroz

Três, quatro, farinha no prato

Cinco, seis, bate outra vez

Sete, oito, vai ganhar um biscoito

Nove, dez, ela é boa da cabeça

 aos pés.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ATIREI O PAU NO GATO

 Atirei o pau no gato-to

Mas o gato-to

Não morreu réu-reu

Dona Chica-ca

Admirou-se-se

Do berro, do berro

Que o gato deu

MIAU!!!  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PEDRINHA

Pisei na pedrinha,

A pedrinha rolou

Pisquei pro mocinho,

Mocinho gostou

Contei pra mamãe

Mamãe nem ligou

Contei pro papai,

Chinelo cantou.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

EU FUI NO TORORÓ 

Fui no tororó

Beber água não achei

Achei pela morena

Que no tororó deixei Aproveita minha gente

Que uma noite não é nada.

Se não dormir agora,

Dormirá de madrugada

Oh, dona Maria.

Oh, Mariazinha,

Entre nessa roda

Ou ficará sozinha.

Sozinha eu não fico

Não hei de ficar

Porque tenho a Tereza

Para ser meu par.  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

AMANHÃ É DOMINGO

Amanhã é domingo

Do pé do cachimbo

Cachimbo é de ouro

Que deu no besouro

Besouro é de prata

Que deu na barata

Barata é valente

Que deu no tenente

Tenente é malvado

Que deu no soldado

Soldado é malino

Que deu no menino

Menino é fraco

Caiu no buraco

Buraco é fundo

Acabou-se o mundo.

 

 

 

 

 

 

 

 

Bom Barqueiro

Bom barqueiro, bom barqueiro, dá licença de passar, carregado de filhinhos para acabar de criar. Passarás, passarás, dá licença de passar, se não for o da frente pode ser o de trás.

(garfo ou faca)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Boca de Forno

Boca de forno! Forno. Tirando bolo! Bolo. Jacarandá! Dá. Onde eu mandar! Vou. Se não for! Apanha um bolo

Remuinho, remuinho, vai...

(então se dá uma obrigação e mandado para realizar) pode ser: apanhar uma folha, dar boa noite a alguém, tomar sua bênção, etc.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Terezinha de Jesus

Terezinha de Jesus de uma queda foi ao chão, atendeu três cavalheiros, todos três chapéu na mão.

O primeiro foi seu pai, o segundo seu irmão, o terceiro foi aquele que a Tereza deu a mão.

quero ver faca de ponta. quero ver sangue escorrer. quero ver aquela ingrata que me fez tanto sofrer.

Da laranja quero um gomo. Do limão quero um pedaço. Da garota mais bonita(do garoto mais bonito), quero um beijo e um abraço.

 

Cadê

Cadê o chouriço que estava aqui?

O gato comeu.

Cadê o gato?

Fugiu pro mato?

Cadê o mato?

O fogo queimou.

Cadê o fogo?

A água apagou.

Cadê a água?

O boi bebeu.

Cadê o boi?

Tá carregando trigo.

Cadê o trigo?

A galinha comeu.

Cadê a galinha?

Tá pondo ovo.

Cadê o ovo?

O frade comeu.

Cadê o frade?

Tá celebrando a missa.

Cadê a missa?

Tá na igreja.

Cadê a igreja?

Tá cheia de gente.

Cadê a gente?

Tá qui! Tá qui! Tá qui! Tá qui!!!

 

 

 

 

 

 

O Padre Pedro

O padre Pedro partiu a pedra de prata. A pedra partiu o prato de prata do padre Pedro

 

Digo Digo

Quando digo, digo digo não digo Diogo, quando digo Diogo, não digo digo. Digo Diogo.

Se o Papa

Se o papa papasse papa, se o papa papasse pão, o papa paparia tudo, seria o papa papão.

 

Mande e-mail para:

heraldo@professorparaense.com